Páginas

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Sem desperdícios!




Antes de terminar o ano (e o fim deste mundo rs) resolvi fazer uma limpeza. 
Comecei pelos armários, gavetas e prateleiras. 
Me conectei com o desperdício. 
Sensação horrível.

Desperdício de máquinas, eletrônicos, sapatos, bolsas, roupas, brinquedos, livros, papel, canetas, CDs, filmes, fivelas. 

Desperdício de remédios e cremes que vencem antes de serem consumidos. 
Desperdício de comida, que triste! 
Desperdício de água, que inconsciência! 
Desperdício de energia, que abuso!


Isso me fez pensar além. 
Há muito mais desperdícios do que isso.



Desperdício de talento. 
Toda vez que escolhemos apagar a nossa luz em vez de deixá-la brilhar.

Desperdício de amor. 
Quando a bússola do sentimento é norteada pela mágoa em vez de ser pela gratidão.

Desperdício de sorriso. 
Quando entramos no elevador e olhamos com cara séria para uma criança com um pirulito na boca.

Desperdício de tempo. 
Acordar, dormir, acordar, dormir, e nem perceber a dádiva de estar vivo.

Desperdício de abraço. 
Quando carregamos tantas coisas que os nossos braços não ficam disponíveis para acolher.

Desperdício de escolhas. 
Toda vez que deixamos os outros escolherem o caminho por nós.

Desperdício de sonho. 
Quando abafamos aquela voz que canta dentro de nós para realizar algo que queremos muito.

Desperdício de encontros. 
Toda vez que dizemos "não tenho tempo".

Desperdício de saúde. 
Quando permitimos que conversas, emoções e alimentos tóxicos nutram nossos pensamentos, sentimentos e corpo.

Desperdício de escuta. 
Quando ouvimos o ruído em vez da música.

Desperdício de recursos. 
Quando não conhecemos os talentos, necessidades e sonhos das pessoas que estão ao nosso lado.

Desperdício de palavras. 
Toda vez que falamos sem significar nada.



Ai... são muitos os desperdícios! 
E todos eles juntos, representam tão simplesmente o desperdício da VIDA.

Nestas últimas semanas de limpeza eu tenho pensado muito nisso. 
Tenho procurado deixar meu caminho leve e minhas pegadas livres.
Não é fácil! 
São muitos os apegos às histórias, memórias, fotografias, registros...
2013 está chegando e trazendo o frescor de um mundo novo que se descortina. 


O desperdício, no sentido amplo, talvez seja o divisor de águas entre esses dois mundos que têm convivido paralelamente.


Uma vida sem desperdício se tornou pra mim um grande sonho de consumo. E agora?

Deborah Dubner

Nenhum comentário:

Postar um comentário