Páginas

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Stress


Às vezes, tudo parece ser demais: qualquer buzina na rua, qualquer choro de criança deixa-nos muito irritados. As pessoas falam conosco e ficamos incomodados. Até mesmo um simples “bom dia” de nosso vizinho de porta atrapalha. A vida cotidiana, principalmente nas grandes metrópoles, produz constantes estímulos externos, desde a propaganda visual, os ruídos, os afazeres, o trânsito, a violência, a preocupação com o dinheiro até os filhos para criar e cuidar, as doenças. Tudo à nossa volta exige nossa atenção e respostas imediatas, pois precisamos sempre lidar com os fatos. É o nosso cotidiano.
Em outras ocasiões, simplesmente fica difícil levar a vida. Nestes dias, acordar de manhã é difícil, pensar no dia que temos pela frente é complicado, sentimos desânimo e a maior vontade que temos é escondermo-nos debaixo do cobertor e dormirmos o dia todo na cama. Achamos que a vida é dura, é difícil e qualquer afazer assume um peso enorme, até mesmo carregar nosso corpo é pesado. Outras vezes, ainda, tão somente ficamos apáticos, desanimados. Em situações extremadas, não queremos ver ninguém, queremos apenas entrar numa vala e escondermo-nos do resto do mundo. Estamos deprimidos. O que fazer?
Tanto em um caso (stress) , como em outro (depressão), o remédio é a expressão emocional. Em ambos, a terapia serve como um bálsamo. Por meio de exercícios de Bioenergética e outras técnicas, podemos desbloquear as tensões acumuladas no corpo, liberar as emoções que estavam presas com elas, de modo a produzir uma maior consciência de nossos padrões repetitivos cotidianos, que nos isolam e nos frustram constantemente.
Com a expansão da consciência, saímos da posição de vítimas dos fatos, passamos a ter maestria de nossas decisões e retomamos a responsabilidade por tudo o que nos acontece.
Dessa forma, a vida passa a ser uma constante aventura e não um fardo a ser carregado. A vida transforma-se em excitação e alegria e, a cada dia, estaremos prontos para novos desafios

Nenhum comentário:

Postar um comentário